Ressíntese de Fosfocreatina

Durante os intervalos de recuperação dos esforços de alta intensidade, ocorrem processos como a ressíntese de fosfocreatina (PCr), o tamponamento de H+ e a remoção do lactato produzido no meio intra, para o meio extracelular.

 A ressíntese de PCr é um desses principais processos metabólicos. Ela envolve a re-fosforilação da creatina, com gasto de ATP pela enzima creatina quinase mitocondrial (Mi-CK) e possui um padrão bi exponencial, com um componente rápido e outro lento.

 A meia vida do componente rápido é de aproximadamente 21 a 22s, contabilizando apenas para uma pequena fração do total de PCr ressintetizada. Já a meia vida do componente lento é de mais de 170s. Consequentemente, a ressíntese do substrato é dependente do tempo das pausas entre os esforços, definindo as pausas como curtas (incompletas para ressíntese de PCr) ou longas (completas para ressíntese de PCr).

 Uma vez que é um processo mitocondrial, a ressíntese de PCr é dependente da disponibilidade de oxigênio para a musculatura. Indivíduos treinados em endurance e, consequentemente com maior potência e capacidade aeróbia, são capazes de ressintetizar o substrato mais rapidamente do que sedentários, ou os menos treinados.

 Segue abaixo a sequência de eventos responsáveis pela ressíntese de PCr:

1) O ATP sintetizado na matriz mitocondrial é usado pela CK mitocondrial (Mi-CK) para fosforilar a creatina;

2) O ADP liberado por essa reação pode ser transportado de volta a matriz, onde é refosforilado a ATP;

3) A PCr deixa a mitocôndria a se difunde no citosol para os locais de consumo de ATP;

4) A CK regenera o ATP, que é usado como substrato energético pelas respectivas ATPases;

5) A creatina liberada retorna a mitocôndria, fechando o ciclo.

 Referências das Figuras

Harris, R. C., et al. "The time course of phosphorylcreatine resynthesis during recovery of the quadriceps muscle in man." Pflügers Archiv 367.2 (1976): 137-142.

Mesa, José LM, et al. "Oral creatine supplementation and skeletal muscle metabolism in physical exercise." Sports Medicine 32.14 (2002): 903-944.