Células satélites musculares

Hawke, Thomas J. "Muscle stem cells and exercise training." Exercise and sport sciences reviews 33.2 (2005): 63-68.

Enquanto o tecido muscular esquelético mantém-se livre de agressões, as células satélites permanecem em estado de quiescência, ou repouso. Uma vez exposto a danos, como os proporcionados pelo treinamento de força, elas são ativadas e iniciam um processo de proliferação. Nesse estado, também são denominadas células progenitoras miogênicas, ou mioblastos adultos. Após diversas sessões de proliferação, a maioria das CS, já diferenciadas, fundem-se para formar uma nova fibra, ou então auxiliam no reparo de uma que esteja danificada.

O ciclo de vida das CS envolve as fases de ativação, proliferação e diferenciação levando ao processo de reparo e consequentemente reconstituição do aparato morfológico e funcional das fibras musculares.

 O princípio do mecanismo de regeneração e hipertrofia muscular proporcionado pelas CS baseia-se então na inserção de novos mionúcleos que favoreceriam a transcrição gênica, e consequentemente a síntese de proteínas, levando ao aumento do tamanho da célula com um proporcional aumento dos mionúcleos.